quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Saúde não confirma mortes de gripe suína em Goiás

A Secretaria da Saúde esclarece que os números liberados na tarde de ontem, em seu boletim semanal de acompanhamento da gripe suína (influenza A- H1N1) em Goiás, não confirma, mas coloca sob suspeita da doença o registro de 14 mortes ocorridas no Estado neste período.

Agecom

Para deputados, Iris está no páreo

A bancada estadual do PMDB saiu de reunião ontem com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), com a convicção de que ele será candidato a governador em 2010. Os dez deputados estaduais do partido se reuniram por duas horas com o prefeito em seu gabinete, no 5º andar do Paço Municipal, para pedirem que ele firme candidatura.Sem afirmar textualmente que vai disputar o governo do Estado, Iris disse aos aliados que está “à disposição” do partido para as eleições e lembrou que suas maiores vitórias foram quando estava na oposição, citando os pleitos ao governo em 1982 e à Prefeitura de Goiânia em 2004. “Nunca vacilei quando o PMDB precisou de mim”, afirmou Iris, segundo participantes do encontro.“Viemos fazer um apelo para que o prefeito seja nosso candidato a governador e ele mostrou bastante disposição. Iris não é de fugir de embates”, afirmou a líder da bancada, Mara Naves, logo após a reunião. “Hoje, Iris é a esperança do PMDB em Goiás. Não tenho dúvida que ele vai atender ao apelo do partido”, disse o deputado José Nelto.Iris prometeu aos deputados que vai intensificar as articulações políticas com lideranças de outros partidos aliados nas próximas semanas. Pediu, no entanto, que não antecipem a discussão sobre as vagas a vice e ao Senado de uma eventual chapa peemedebista para não inviabilizar futuros acordos políticos.Disse também que, apesar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter mostrado preferência pela candidatura do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, está confiante no apoio do PT goiano caso decida disputar.SobrevivênciaA candidatura de Iris trata-se de uma questão de sobrevivência para os parlamentares do PMDB. Eles avaliam que sem o prefeito não contarão com um palanque forte em 2010, o que resultaria numa redução das bancadas federal e estadual da sigla.O apelo ao prefeito é uma tentativa de manter acesa no partido a perspectiva de poder para 2010, fundamental para conquistar quadros no processo de filiação que se encerra em setembro. Desde que Lula jogou um balde de água fria em Iris durante sua passagem por Goiás, no último dia 13, membros do PMDB em todo o Estado se sentiram inseguros quanto à perspectiva de contarem com uma candidatura competitiva.O receio é de que, sem o apoio de Lula, Iris desista de disputar, o que reduz as chances do partido retomar o comando do governo estadual. Alguns prefeitos e vereadores ensaiam, portanto, uma debandada para se aliarem a um grupo com maior expectativa eleitoral, contam deputados peemedebistas.Um grupo do PMDB defende que Iris antecipe sua pré-candidatura em setembro para estimular as filiações e conter as defecções. O prefeito chegou a cogitar o gesto no final da semana passada, mas ontem mostrou mais cautela. Disse aos deputados que a antecipação eleitoral poderia trazer instabilidade política ao PMDB e à sua administração.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

DJ tcheca perde aposta e trabalha nua em rádio

Veronika Nagrova apresentou o programa só com um biquíni pintado.
Segundo ela, colegas da rádio arrumavam desculpas para poder vê-la.
G1
Após perder uma aposta, a DJ tcheca Veronika Nagrova, de 30 anos, trabalhou nua --apenas com um biquíni desenhado no corpo-- na estação de rádio Kiss Proton, em Plzen, na República Tcheca, de acordo com a emissora de TV "TN".



Durante a apresentação do programa, foi instalada uma webcam para que os ouvintes pudessem vê-la apenas com o biquíni pintado no corpo.

Veronika tinha apostado com colegas que ninguém iria ganhar um concurso promovido pela rádio, mas um ouvinte acabou conquistando o prêmio e ela teve que tirar a roupa.

"O único problema foi que todos os homens da rádio encontravam uma desculpa para vir me ver", afirmou ela.

Senador Canedo cresce 45,95%

As estimativas divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que Aparecida de Goiânia ultrapassou a marca dos 500 mil habitantes em 2009. Comparada a 2000, o número de habitantes cresceu 51,83%, o que corresponde a mais de 174,4 mil pessoas. A explosão demográfica experimentada pela cidade é resultado, principalmente, do fluxo migratório que parte das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil para o Entorno da capital de Goiás.

“Aparecida é a terceira cidade que mais cresce no País”, afirma o economista Carlos Eduardo de Paula Rodrigues, secretário da Fazenda do município. Assim como Aparecida, outros municípios da Região Metropolitana de Goiânia experimentaram crescimento bem acima da média desde 2000, como é o caso de Senador Canedo (45,95%) e Trindade (28,87%), que é a oitava mais populosa do Estado, segundo o IBGE.

Além do Entorno de Goiânia, é o Entorno do Distrito Federal que atrai elevado contingente populacional. Os principais exemplos são os municípios de Luziânia, Águas Lindas, Valparaíso e Formosa (veja quadro).

O avanço da população faz crescer a demanda por serviços e representa um desafio a mais para a administração local. A infraestrutura viária, de saneamento, saúde, habitação e transporte, obviamente, não cresce na mesma proporção e com a mesma velocidade que o número de habitantes. “Cabe ao município equacionar os investimentos visando melhorar os indicadores socioeconômicos”, ressalta o geógrafo do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais da Universidade Federal de Goiás (Iesa-UFG), professor João de Deus.

De acordo com o secretário Carlos Eduardo, o perfil de Aparecida mudou na última década. “O município deixou de ser apenas formador de mão-de-obra para Goiânia, uma cidade dormitório. Aparecida se tornou atrativa para investimentos, melhorando as taxas de empregabilidade.” O crescimento da arrecadação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), segundo diz, demonstra o dinamismo do comércio local. “A arrecadação cresceu 360% em quatro anos”, cita.

O preço dos terrenos em Aparecida de Goiânia e sua proximidade com a capital, segundo avalia o professor João de Deus, são fatores que contribuíram muito para a explosão demográfica registrada pelo município.

sábado, 15 de agosto de 2009

Rodovia da Morte

Câmara de Senador Canedo

Fizemos um raio-x da Câmara de Senador Canedo, com intuito de mostrar para você eleitor, como foi a atuação dos vereadores durante o primeiro semestre deste ano. Baseamos nossa análise nos projetos e requerimentos apresentados nas 25 sessões ordinárias que a maioria dos vereadores participaram em cinco meses deste ano.

De acordo com as informações que estão à disposição da população no site da Casa (www.camaracanedo.go.gov.br) foram apresentados pelos vereadores apenas seis projetos de leis. Um número bastante pequeno comparado à quantidade de leis apresentadas por outras câmaras municipais: como a da cidade de Anápolis onde foram propostas pelos vereadores 73 leis, em Nerópolis onde o Legislativo é composto pelo mesmo número de vereadores de Senador Canedo, foram apresentados 41 projetos, já em Rio Verde os vereadores propuseram 27 leis.

Apresentaram projetos de leis somente os vereadores Geraldo Detran (PR) alterando a lei orgânica, Sérgio Bravo (PSB) determinado a instalação de brinquedos para portadores de necessidades especiais nas praças da cidade e um do Roberto Lopes (PPS) tombando o prédio da sede sub-prefeitura como patrimônio histórico da cidade.

O professor de direito constitucional, Evandro Martins, informou que as leis aprovadas no parlamento terão que ser cumpridas, e que elas servem para regulamentar uma infinidade de fatores no cotidiano de uma cidade. “Uma lei pode proibir o uso de cigarros em lugares públicos, diminuir o tempo em fila de banco ou determinar um aprendizado de uma disciplina na sala de aula. Em fim pode resolver a vida de muita gente, com uma lei aprovada em uma câmara de vereadores”, afirmou o professor.

“Vale ressaltar que as leis são importantes. Porque são as leis que mudam as vidas das pessoas, leis determinam como a sociedade deve-se organizar”, ressaltou. O professor ainda disse que é preciso que os vereadores proponham mais leis que melhorem o cotidiano das pessoas, segundo o professor quando a Câmara não propõe leis, ela foge da sua função. “Se o vereador não faz leis ele não está cumprindo o seu papel, porque afinal de contas o vereador é eleito para ser um legislador e fiscal”.

Requerimentos
Outro instrumento usado pelos vereadores para reivindicar melhorias para população é o requerimento, por meio deste documento o vereador pode cobrar e solicitar tudo que é de interesse dos seus eleitores como troca de lâmpada, sinalização de rua, melhor atendimento em um PSF e etc. E de acordo os dados publicados no site da câmara os vereadores apresentaram um total de 192 requerimentos (veja o box ao lado). Vale ressaltar que o requerimento é um pedido e não tem a força de uma lei.
O campeão na apresentação de requerimentos foi vereador Dinei (PTB) com 36 no total e na última coloca ficou o vereador Wander David (PTC) com apenas 6 requerimentos. Depois de analisar os números, ficou evidenciado que os vereadores novatos tiveram uma disposição maior em apresentar requerimentos, como no caso do novato Hamilton (PV), com 24 proposituras já o veterano Paulo Roberto (PPS) apresentou apenas 12 requerimentos.

Comparando com o número de requerimentos apresentados por outras câmaras, o Legislativo canedense teve uma atuação tímida, de acordo com os números disponibilizados pelos sites das casas a Câmara de Senador Canedo, só ganhou em quantidade de requerimentos dos vereadores da Nerópolis, la foram apresentados 116. Já em Rio Verde no sudoeste goiano foram aprovados 498 requerimentos, Jataí 321 e em Anápolis os vereadores requereram 686 vezes.


Outro lado
O presidente da Câmara, vereador Geraldo Detran (PR), afirmou que os vereadores trabalharam bastante no semestre passado. “Todos os vereadores tiveram uma ótima atuação”. Quanto ao número de leis apresentado o vereador informou que os vereadores não podem fazer leis a toque de caixa. “Não adianta criar leis para depois elas não serem cumpridas”, destacou.

POR:ALEXANDRE BRAGA

Folha denuncia Marconi

Ainda está para ser totalmente levantada a história do setor farmacêutico em Goiás. Na última década, o estado abriu inúmeras facilidades fiscais, além de frouxidão na fiscalização, que permitiram o aparecimento de laboratórios, atacadistas e indústria das liminares em combustíveis. Há indícios de que dinheiro do jogo de bicho tenha sido aplicado em alguns desses setores. E, aparentemente, houve envolvimento de autoridades estaduais para convalidar o modelo.

A Folha de hoje traz matéria (clique aqui) sobre o inquérito envolvendo laboratórios farmacêuticos em esquemas de licitação em São Paulo. Dois laboratórios desapareceram do inquérito. Um deles, de familiares do ex-governador goiano e atual senador Marconi Pirillo, político com estreitas ligações com o PSDB paulista.

A informação da Folha traz dados curiosos:

Uma das acusadas, a Halex, pertence a Heno Perillo, primo de Marconi Perillo, ex-governador de Goiás e senador do PSDB. Segundo a matéria, “o nome do político aparece anotado à mão, ao lado do de Heno, na ficha de formação societária da empresa que integra a documentação da operação.”

Na matéria, Perillo afirma nunca ter intercedido pela empresa do primo. Mas as investigações foram conduzidas pelo Ministério Público Estadual, Polícia Civil e supervisionadas pela própria Casa Civil do governo Serra.

Posso estar enganado, mas nunca soube da Casa Civil se envolvendo em qualquer investigação criminal. Não faz parte de suas atribuições, a não ser que tenha repercussões políticas.

Concretamente:

A Casa Civil do governo paulista participou de um inquérito em que, no meio do caminho, foi retirado o nome de uma empresa goiana que pertence a um primo do aliado político de Serra, Marconi Perillo - que é suspeito de participar da empresa.

Pesquisa para governador: Iris lidera e Marconi está em segundo, em Goiânia

Escrito por Altair Tavares Radio730

A Rádio 730 sai mais um vez na frente e divulga com exclusividade a primeira pesquisa de intenção de voto para governador do Estado de Goiás, em 2010. O levantamento é uma parceria entre a Rádio 730, jornal Tribuna do Planalto, sob responsabilidade técnica da empresa Fortiori. O universo da pesquisa é a população de Goiânia, portanto, reflete a opinião do eleitor da capital.
Na pesquisa espontânea o prefeito de Goiania, Iris Rezende, teve 27,5 % das intenções de voto contra 11,2% do senador Marconi Perillo. O presidente do Banco Central, Henrique Meireles vem em terceiro com 2,8% seguido do prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela que tem a preferencia de 1% do eleitorado de Goiânia.

> Na espontânea, Íris é primeiro e Marconi é segundo. Veja o potencial de crescimento de cada candidato
> Estimulada e cenários: em Goiânia, Íris lidera com folga.
> Gestão Íris tem 82,7% de aprovação. Para o goianiense, o prefeito de sair para disputar
> Metodologia da pesquisa.


49,1% dos eleitores consultados estão indecisos ou não sabem em quem vão votar. 5,3% votariam nulo e em branco. A pesquisa foi realizada de 10 a 13 de agosto com 607 entrevistas.
Confira abaixo todos os dados do levantamento espontâneo e estimulado.

ESPONTÂNEA:


No ano que vem, haverá eleição para governador. Se a eleição fosse hoje, quem você gostaria que fosse eleito governador de Goiás?
Indeciso/Não sabe: 49,1%
Íris Rezende: 27,5%
Marconi Perillo: 11,2%
Nulo/Branco/Nenhum: 5,3%
Henrique Meirelles: 2,8%
Maguito Vilela: 1%
Alcides Rodrigues: 0,8%
Lúcia Vânia: 0,7%
Pedro Wilson: 0,7%
Barbosa Neto: 0,5%
Demóstenes Torres: 0,3%
Ademir Menezes: 0,2%

ESTIMULADA:


Se os candidatos forem esses, em qual você votaria para governador de Goiás se a eleição fosse hoje?
Íris Rezende: 54,7%
Marconi Perillo: 25,%
Henrique Meirelles: 8,2%
Washington Fraga: 0,3%
Indeciso/Não sabe: 4,8%
Nulo/Branco/Nenhum: 6,4%

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Sarney está prestes a renunciar ao cargo

O senador José Sarney lutou muito, mas não conseguiu vencer os fatos. Ao decidir disputar a presidência do Senado, em fevereiro passado, acreditava que o cargo era uma garantia de imunidade para ele e a família - aquela altura já investigada pela Polícia Federal por suspeita de uma multiplicidade de crimes. A visibilidade, porém, teve efeito contrário e acabou colocando o mais longevo dos políticos brasileiros no centro de uma devastadora crise de no Congresso. José Sarney, o último dos coronéis, rendeu-se diante de tantos escândalos. Na semana passada, o senador disse ao presidente Lula que está cansado e que decidiu deixar o cargo.

"Não aguento mais. Vou negociar uma saída", afirmou, de acordo com um interlocutor privilegiado do presidente Lula. A conversa aconteceu na segunda-feira, pelo telefone, quando o presidente ligou para saber notícias sobre o estado de saúde de Marly Sarney, esposa do presidente do Senado, que se recupera de uma cirurgia em São Paulo. Sarney, de acordo com o relato feito pelo presidente Lula, estava abatido, disse que não conseguia dormir havia dias e se culpava pelo estado de saúde da mulher, que sofreu um acidente doméstico, fraturando o braço e o ombro.

Nos às vezes tortuosos códigos da política, desabafos como o do senador Sarney podem ser interpretados como um simples blefe, uma ameaça velada ou até chantagem de alguém em busca de proteção. Não é o caso. Desde o início da crise, Lula se empenhou pessoalmente na defesa do presidente do Congresso, sem qualquer pudor, a ponto de gerar constrangimentos ao seu partido, quando desautorizou publicamente o líder do PT, senador Aloizio Mercadante, que havia pedido o afastamento do presidente do Congresso. Depois da conversa telefônica com José Sarney, porém, Lula mudou completamente o tom.

Antes disposto a sacrificar um pouco da própria popularidade em troca de um punhado de votos no Congresso e de uma provável aliança com o PMDB na campanha eleitoral de 2010, o presidente vislumbrou a hora de mudar o discurso. Sarney? "Não é um problema meu. Não votei para eleger o presidente Sarney a presidente do Senado, nem para senador. Votei nos senadores de São Paulo. Quem tem que decidir se ele fica presidente é o Senado", disse o presidente em entrevista. Lula recolheu a bóia. Jamais, portanto, poderá ser acusado de ter associado sua credibilidade à tentativa de manter no cargo um presidente do Congresso envolvido em nepotismo, desvios dinheiros, contas no exterior... E, daqui a alguns dias, Lula pode, quem sabe, invocar até uma conveniente crise de amnésia: Sarney? Que Sarney?...

O presidente, o PMDB e seus aliados já começaram a discutir o futuro do Senado pós-Sarney, mas muito distante daquele que deveria ser o ponto de partida. Lula, por exemplo, está preocupado com questões mais práticas, como a sucessão. Trabalha para que Sarney renuncie, o que obrigaria o Senado a convocar novas eleições em cinco dias, evitando que a Casa ficasse sob o comando do vice-presidente Marconi Perillo, do PSDB. O PMDB, republicano como sempre, quer continuar com a presidência, mas tem dificuldades em encontrar um candidato que seja da absoluta confiança do partido e que tenha a ficha limpa - missão aparentemente impossível.

A desfecho da crise envolvendo Sarney representa um golpe contra as tradicionais oligarquias políticas brasileiras, mas não o definitivo - aliás, longe disso. Antônio Carlos Magalhães, Renan Calheiros, Jader Barbalho e Sarney produziram herdeiros, biológicos ou não, que mantêm vivas as seculares práticas coronelistas. O tamanho e a importância que tem o PMDB no cenário nacional é o maior exemplo disso. Como um câncer em processo de metástase, o partido é o abrigo seguro desse jeito peculiar de fazer política, destes grupos que continuam espalhados pela máquina do estado empenhados exclusivamente em girar a roda do fisiologismo e da corrupção.

Se a renúncia de Sarney se confirmar, alguém é capaz de imaginar que os indicados do senador no setor elétrico serão demitidos? Não, não serão. Eles continuarão lá, fazendo tudo que sempre fizeram, igualzinho ao que manda a cartilha atrasada pela qual rezam a maioria dos políticos brasileiros, independente a qual agremiação pertençam. Afinal, esta é, e vai ainda continuar sendo por muito tempo, a mais eficiente e segura forma de fazer política: trocando votos por cargos, permutando verbas por apoio, empregando parentes e amigos - tudo com o nosso dinheiro.

domingo, 9 de agosto de 2009

De férias em Goiânia, modelo Lisalla Montenegro de senador canedo brilha em desfiles na Europa e nos EUA, onde mora há 4 anos

DM



HITORICO:
Lisalla Montenegro - Modelo Cabelos: castanhos Olhos: castanhos Idade: 20 Naturalidade: Goiânia (GO) Altura: 1,76 cm Peso: 50 kg Quadril: 89 cm Cintura: 59 cm Busto: 86 cm Manequim: 36 Sapato: 38 Principais grifes para as quais já fotografou e/ou desfilou: Emanuel Ungaro, Steven Madden, Target, Old Navy, Macy’s, Bloomingdales, L’Oreal, Dooney & Bourke, Ugg Australia, Michael Stars, Usher Perfum, Dessy Collection, Avon, Sephora, Matrix, Yamamay, Calzedonia, H&M. Revistas: Vogue Brasil, Vogue America, Cosmo Girl, Aluire Magazine, Major Magazine, Glamour Magazine, Desert Living Magazine, Nylon Magazine, Stiletto, STyle Monte Carlo, West Est Magazine, Gloss Magazine, Cosas Moda, Latina Magazine

De férias no Brasil, a modelo internacional Lisalla Montenegro esteve em Goiânia, sua terra natal, para passar uma semana com a família. A top model deixou a agitada Nova York, onde mora desde 2005, para descansar junto ao aconchego dos pais. Durante a estadia, foi a Caldas Novas, lugar onde ninguém a conhece e não é perturbada por empresários ou pela própria imprensa.

Lisalla vem ao Brasil o máximo que pode, porque existem temporadas fortes em NY e aqui. “Prefiro ficar em Nova York porque os cachês e os trabalhos são melhores.” Apesar disso, tenta vir de duas a três vezes ao ano. Apesar de não ser conhecida no circuito nacional, regionalmente já realizou alguns trabalhos. Quando é descoberta aqui, de férias, os empresários não dão folga para a modelo. Elegantemente, ela rejeita as propostas alegando que na volta ao Estado gosta de passar o tempo com os pais e as irmãs.

Nos dias em que passa no aconchego da família e provando das delícias regionais, Lisalla diz que sempre ganha dois quilos. Mas isso não é problema para a modelo, que pratica boxe em Nova York. Acompanhada por um personal trainer, ela faz meia hora de corrida e uma hora e meia de boxing e schutz. Só os exercícios não bastam para manter o corpo de modelo em forma. Uma alimentação balanceada faz parte da rotina da goiana, que alega comer de tudo um pouco. Se come arroz, hoje, amanhã evita comer outro tipo de massa. “Eu tento balancear com proteína, carboidrato e algum tipo de vitamina. Não bebo durante as refeições. É isso que dá a indesejada barriguinha.” Por incrível que possa parecer, a modelo gosta de comer arroz, feijão, alface e quiabo. E de sobremesa bombom ou creme de leite com achocolatado. “São coisas que só quando eu estou na casa dos meus pais como na hora que dá vontade.

A modelo começou a carreira depois de fazer o book fotográfico com 15 anos de idade. Na época, a mãe, Lu Montenegro, trabalhava em uma loja de roupas em Goiânia. Em um dia, por acaso do destino, o book da top model estava com a mãe, e donos de uma agência observaram o potencial de Lisalla e decidiram investir em sua carreira.
Depois de quatro meses na agência, um booker de Nova York quis conhecer modelos de Goiânia. Concorrendo com 40 modelos e com os nervos à flor da pele, Lisalla foi escolhida. Após três meses da sua vitória, a modelo se mudou para Nova York e se instalou em um apartamento da agência. Na época em que se mudou, a mãe não pôde ir junto, pois a família, que morava em Senador Canedo, passava por um momento difícil.
Por não falar inglês e ter dificuldade em se relacionar com os clientes, além de não saber andar na cidade para divulgar o seu trabalho, a agência mandou que Lisalla voltasse ao Brasil. Persistente em seu objetivo, a modelo bateu o pé e falou que ficaria na cidade até o final do seu contrato, período de três meses. Começou a fazer aula de inglês, mas não foi fácil. As aulas coincidiam com os trabalhos e por ter necessidade de ganhar dinheiro, deixou o inglês de lado, e como ela mesmo diz, “teve de aprender na marra”. Assimilou a língua estrangeira trabalhando, assistindo a filmes e seriados na televisão.

Após os primeiros trabalhos, que lhe renderam frutos, a agência desistiu de mandar a goiana de volta para casa. Hoje, ela pertence à mesma agência de Gisele Bündchen. Mas revela que nunca teve contato com a top model. Em contrapartida, fez trabalhos com as modelos Alessandra Ambrosio e Adriana Lima. Mesmo com a pouca idade, Lisalla ainda tem o sonho de desfilar pela Victoria's Secret. “É um sonho, mas deixei um pouco de lado, pois a concorrência é muito grande.”

Diversão
Diferente de algumas meninas, que preferem filmes de romance ou comédia romântica, Lisalla adora filmes de ação. Assistiu ao filme Exterminador do Futuro e gostou. Ator de Hollywood que acompanha a carreira e todos os filmes é Denzel Washington. “Sou fã número um”. Além de filmes, a modelo gosta de assistir a série Friends. Ela tem o boxe completo da série e já assistiu mais de cinco vezes. “Todas as vezes que vejo, rolo de tanto rir.” É apaixonada por filmes e adora ir ao cinema. Dentro do mundo do cinema, Lisalla admira o trabalho desenvolvido por Angelina Jolie, não nas telonas, mas o trabalho voluntário que ela faz com os menos favorecidos. Já no mundo da música, a modelo diz ouvir de tudo. Gosta de forró, pagode e samba. Estilos como heavy metal e funk passam bem longe de seus ouvidos. “Adoro dançar. Mesmo eu não saindo de casa, dou meus passos por lá mesmo.”
Lisalla tem amigos brasileiros em Nova York. Todo mês de julho eles se reúnem para fazer um churrasco à brasileira e dançar forró e samba. “Me sinto em casa. Só falta a presença da família.” Mora com o namorado, e com um cachorro chamado Fidel. Lisalla garante que o nome do cãozinho não tem nada relacionado com o líder cubano. O companheiro é natural de São Paulo e, diferente da modelo, ele estuda história em uma universidade de Nova York. Pensa em casar, mas só daqui a alguns anos.

Talvez inspirada em Angelina Jolie, Lisalla também faz trabalhos voluntários. Ajudou uma escola na África, um orfanato em Minas Gerais e todos os domingos a modelo vai a asilos de Nova York. Ela e outros parceiros fazem peças de teatro para os moradores, levam flores e cantam. “São coisas simples que me fazem sentir bem.”

Campanhas
Ano passado fez a temporada verão na São Paulo Fashion Week e desfilou para quatro marcas de biquíni. A partir da temporada de 2010, voltará à semana de moda paulista. Uma campanha para a grife Linda de Morrer foi um dos poucos trabalhos feitos por Lisalla no Brasil. Aqui ela também desfilou pelas grifes Poko Pano e Villaventura. Já no exterior participou da Emanuel Ungaro, fotografada em Paris, L’Oreal, comercial da H&M, Steven Madden, Dooney & Bourke, Michael Stars, dentre outras. Lisalla participou de desfiles em Paris, Milão e Alemanha. Se surgisse a oportunidade de morar na Europa, iria para Paris, apesar de não gostar dos parisienses. “Eles não gostam de brasileiros. Tratam todos muito mal.

Apesar de Lisalla ter desfilado de biquíni e lingerie, diz que não posaria nua. Os pais nunca falaram nada a respeito, mesmo sendo uma família conservadora. “Não parece comigo. É diferente do que eu falo e convivo e do exemplo que dou para minhas irmãs.”

Família é torturada durante assalto no Espírito Santo

G1, com informações da Gazeta On Line

Cinco pessoas da mesma família - entre elas uma criança de 11 anos e outra de 12 anos - foram torturadas e mantidas sob a mira de um revólver, neste sábado (8), durante um assalto, em Vila Velha (ES). Os crimes foram cometidos por cinco pessoas, que invadiram o imóvel onde vivem as vítimas.

Quatros dos integrantes da quadrilha foram presos em flagrante depois de roubarem joias, roupas e o carro da família. Um deles conseguiu escapar por um matagal na região.

Segundo a polícia, o assalto começou por volta das 16 horas, quando os cinco bandidos pularam o muro dos fundos da casa e renderam uma das mulheres, na cozinha.

Ainda de acordo com a polícia, os criminosos foram até um dos quarto, onde o marido da mulher, um empresário de 48 anos, dormia. Ele e o filho mais velho do casal, de 19 anos, foram trancados no quarto. A chave foi jogada na varanda.

A polícia informou ainda que a mulher foi levada para outro cômodo, onde estavam as duas crianças menores. Ela foi amarrada a uma cadeira e os bandidos ainda tentaram colocar uma sacola plástica em sua cabeça, mas não conseguiram. Eles ameaçaram a mulher e as crianças de morte com o revólver, uma faca e uma tesoura.

Segundo relatos das vítimas à polícia, os assaltantes ainda cortaram os fios de telefone para que a família não conseguisse se comunicar com ninguém. Mas o sobrinho do casal estava sentado em cima de um dos aparelhos, que acabou não tendo o fio cortado.

Os criminosos colocaram os eletroeletrônicos, joias e roupas em uma picape da família e fugiu. Durante um cerco policial, quatro deles foram presos e um fugiu por um matagal.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Teste físico é decisivo para candidatos a gari em Goiânia

G1

A Prefeitura de Goiânia abriu mão das tradicionais provas escritas e resolveu testar os candidatos de um concurso público naquilo que eles serão mais exigidos: a resistência física.

É preciso fazer no mínimo 17 abdominais e 11 flexões, além do teste de agilidade. E ainda tem mais um desafio: a pista de atletismo.

São 2,4 mil metros, seis voltas debaixo de um sol escaldante. O fôlego tem que ser quase de maratonista.

“Eu tive que mudar minha alimentação e fui à academia” diz Valdirene Alves de Freitas.

“Treinei pouco, trabalhando demais, de servente, o dia inteiro, não precisa nem treinar”, diz Valdir dos Santos.

O percurso tem que ser feito em no máximo 15 minutos. A regra vale para homens e mulheres. Alguns trouxeram até torcida, para dar um empurrãozinho. Mas nem todos conseguem.

O que poderia ser uma competição, na verdade é um concurso público. São quase 17 mil candidatos, que concorrem a 400 vagas para trabalhar no serviço de limpeza urbana.

As provas foram elaboradas por professores de educação física com base na função que os aprovados vão desempenhar. As tarefas serão varrer ruas e coletar o lixo. Cada coletor recolhe em média quatro toneladas de lixo por dia e percorre até 10 quilômetros correndo atrás do caminhão.

“Se o trabalhador estiver preparado fisicamente para aquele trabalho nós teremos muito menos problema de acidente de trabalho, teremos menos problemas de lesões”, diz Wagner Siqueira Jr. presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia.

Os candidatos correm atrás da garantia de estabilidade de um emprego público e de um salário que pode ultrapassar R$ 1 mil por causa das gratificações.

Entre os candidatos estão desempregados, pessoas querendo mudar de profissão e até donas de casa.

Uma delas deu um show na pista, sem tênis e roupa adequada, concluiu a prova bem antes do tempo. “Achei que eu não ia dar conrta, mas dei conta de correr. Para quem quer ter alguma coisa na vida, tem de batalhar né?! E foi fácil”, diz Valdelice Alves Ribeiro.

Os candidatos à vaga de catador ainda têm uma outra etapa, a última, marcada para setembro, quando vão simular um trabalho de coleta com um caminhão de lixo de verdade.

Avião 'foge' de piloto e voa sozinho por 300 metros

G1

Um piloto australiano esqueceu de colocar calços nas rodas de um avião Cessna e acabou protagonizando nesta terça-feira (4) um acidente curioso em Coober Pedy (Austrália), segundo reportagem da emissora australiana “ABC News”.

Como não conseguiu iniciar a decolagem de dentro do cockpit, o piloto desceu do avião para girar a hélice com as mãos. No entanto ele não conseguiu retornar para o cockpit e o avião voou sozinho.

De acordo com a emissora, o avião voou por cerca de 300 metros antes de bater em uma vala. O Cessna ficou bastante destruído, mas ninguém ficou ferido no acidente