quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Para deputados, Iris está no páreo

A bancada estadual do PMDB saiu de reunião ontem com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), com a convicção de que ele será candidato a governador em 2010. Os dez deputados estaduais do partido se reuniram por duas horas com o prefeito em seu gabinete, no 5º andar do Paço Municipal, para pedirem que ele firme candidatura.Sem afirmar textualmente que vai disputar o governo do Estado, Iris disse aos aliados que está “à disposição” do partido para as eleições e lembrou que suas maiores vitórias foram quando estava na oposição, citando os pleitos ao governo em 1982 e à Prefeitura de Goiânia em 2004. “Nunca vacilei quando o PMDB precisou de mim”, afirmou Iris, segundo participantes do encontro.“Viemos fazer um apelo para que o prefeito seja nosso candidato a governador e ele mostrou bastante disposição. Iris não é de fugir de embates”, afirmou a líder da bancada, Mara Naves, logo após a reunião. “Hoje, Iris é a esperança do PMDB em Goiás. Não tenho dúvida que ele vai atender ao apelo do partido”, disse o deputado José Nelto.Iris prometeu aos deputados que vai intensificar as articulações políticas com lideranças de outros partidos aliados nas próximas semanas. Pediu, no entanto, que não antecipem a discussão sobre as vagas a vice e ao Senado de uma eventual chapa peemedebista para não inviabilizar futuros acordos políticos.Disse também que, apesar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter mostrado preferência pela candidatura do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, está confiante no apoio do PT goiano caso decida disputar.SobrevivênciaA candidatura de Iris trata-se de uma questão de sobrevivência para os parlamentares do PMDB. Eles avaliam que sem o prefeito não contarão com um palanque forte em 2010, o que resultaria numa redução das bancadas federal e estadual da sigla.O apelo ao prefeito é uma tentativa de manter acesa no partido a perspectiva de poder para 2010, fundamental para conquistar quadros no processo de filiação que se encerra em setembro. Desde que Lula jogou um balde de água fria em Iris durante sua passagem por Goiás, no último dia 13, membros do PMDB em todo o Estado se sentiram inseguros quanto à perspectiva de contarem com uma candidatura competitiva.O receio é de que, sem o apoio de Lula, Iris desista de disputar, o que reduz as chances do partido retomar o comando do governo estadual. Alguns prefeitos e vereadores ensaiam, portanto, uma debandada para se aliarem a um grupo com maior expectativa eleitoral, contam deputados peemedebistas.Um grupo do PMDB defende que Iris antecipe sua pré-candidatura em setembro para estimular as filiações e conter as defecções. O prefeito chegou a cogitar o gesto no final da semana passada, mas ontem mostrou mais cautela. Disse aos deputados que a antecipação eleitoral poderia trazer instabilidade política ao PMDB e à sua administração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário