quarta-feira, 20 de julho de 2011

CANEDO EM PAUTA Nº 12

SUMÁRIO: - Editorial – Senador Canedo No âmbito das especulações políticas – Península Ibérica será julgada por Deus – Leia o meu CONVITE!



EDITORIAL – A FLEXA QUE ERROU O ALVO

A delinqüência juvenil supera as expectativas das autoridades policiais e judiciárias, menos, claro, as que fazem as leis no Congresso Nacional, porque ainda não acharam uma justificativa para mexerem ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, alterando-lhe artigos, incisos, parágrafos, alíneas, letras, enfim, outras possíveis subdivisões no documento, para adequá-lo à realidade dos que sofrem com a implacabilidade dessa gente que não teve pai e nem mãe para criá-los, prepará-los e dirigi-los para uma vida honesta e cidadã.
Impressionam também a pedagogos, sociólogos, psicólogos, assistentes sociais, cientistas de todo conhecimento e grandeza, em matéria de estudo que se possa fazer em busca de se conhecer melhor o enigmático comportamento humano, principalmente do homem que se nega, como o fez CAIM, a se relacionar sem dura cerviz com o Deus que fez todas as coisas nos céus e na terra. Mas os “mestres” na esfera do conhecimento humano também dispensam os ensinamentos do Deus altíssimo.
Esquecem-se de que, antes da ciência, a Bíblia já existia, pois, como Palavra de Deus inspirada, ela nasceu no coração de Deus: “Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade”. E prossegue: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho não se desviará dele”. E diz mais: “Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo”. E, conclui: “Não retires da criança a disciplina, pois se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás sua alma do inferno”.
Pais e mães que acharam que era melhor seguir os ensinamentos das modernas ciências (pedagogia, sociologia e psicologia etc.) tiveram que ir às ruas colher os frutos dos assassinatos de seus filhos, deixando famílias inteiramente destruídas, ou, então, recolher seus corpos mutilados por armas brancas ou de fogo de bandidos implacáveis ou mesmo da polícia. Claro, sem falar-mos nos que estão sob algemas morais e psicológicas, controlados por bandidos perigosos, dos quais não poderão se desvencilhar talvez nunca.
Infelizmente, essa é a triste realidade de nosso País em uma guerra fratricida, onde a família é o seu principal epicentro. A impressão que se tem é a de que não tem mais jeito para nada. As leis parecem que foram arquivadas no recôndito da “sapiência” bandida dos que as manipulam ao bel prazer. Os anseios de justiça dos que perderam valores humanos irrecuperáveis não são satisfeitos. Seus pais foram trabalhar e deixaram os filhos aos cuidados de berçários, babás, creches, escolas, trancados em casa ou soltos nas ruas, e de lá saíram desconhecendo o real valor da vida e da família, e, como flechas nas mãos de inábil guerreiro, erraram o alvo.
Recuperá-los onde, como e quando? O que esquadrinha o coração do homem lhe avisou que não retirasse a vara (cipó mesmo!), mas este não quis LHE dar ouvidos. Negou-se a isso, alegando que havia alguém melhor preparado (?) para orientá-lo: o professor, o pedagogo, o psicólogo, enfim. Embrenhou-se na vida fácil de um lar sem Deus e transformou sua casa num bordel de tantas oferendas ao pecado. Preferiu comer, beber e divertir-se o tempo. Afagou com elogios aos filhos nos copos e nos cigarros. E, quando a desgraça chegou e ele a mandou entrar, e ela levou embora toda a sua “felicidade”.
--------------------

Senador Canedo no âmbito das especulações políticas


(É sabermos que a dinâmica da política nos coloca diante de indagações – longe de serem fantasiosas – interessantes, justo a partir do momento em que começamos a pensar no futuro da gente. Olho, hoje, para Senador Canedo e o coloco nessa linha de raciocínio, pois o ano que vem – 2012 – se aproxima e precisamos escolher pessoas que comandem o nosso destino com sabedoria e segurança, de preferência que sejam pessoas tementes a Deus, não apenas sabendo que Ele existe, mas que LHE sejam submissas, pois, “quando o justo governa o povo se alegra”, afinal de contas, na prática do amor e da fé cristãos – cristianismo é só conversa fiada? Zélio Cândido Costa e Roberto Lopes estariam dentro desses critérios? )
Para os que não gostam de política nunca é demais dizer que sem ela ninguém consegue viver. O homem, como dizia Sócrates, “é um animal político”, ou seja, está nas veias do ser humano fazer política. Agora, o que é imprescindível nessa história toda é acertar-se na escolha dos agentes políticos, afim de que o exercício ou a prática política – como queiram! – seja salutar, de bom alvitre, dê respostas para os problemas de ordem social, de ordem política, de ordem econômica para toda a população, que é o que ela espera e quer de seus agentes públicos, principalmente dos que se elegem pelo sagrado sufrágio universal – o chamado voto popular. Sem isso não há como garantir-se que teremos dias tranqüilos nas áreas supra mencionadas, pois, ao invés de sanar as questões de toda ordem, a política em mãos erradas passa a ser o pior de todos os imbróglios na vida de uma população. A experiência de Senador Canedo, por exemplo, na primeira etapa de sua história – porque ela se divide em antes e depois do Vanderlan (2004 a 2012) – foi dramática, porque a população foi traída naquilo com que mais esperava de seu prefeito, com exceção do governo Tomaz de Aquino (1993 a 1996), que lançou as bases para a implantação do
Parque Industrial do município, que hoje começa a gerar as melhores expectativas para os investidores, em matéria de retorno; para a população trabalhadora, em matéria de geração de emprego e renda; e, para o governo de Goiás e para a própria Prefeitura em matéria de arrecadação de tributos estaduais e municipais. Lógico, é vital para os quatro segmentos apontados! O governante que não enxerga dessa forma é estrábico! No passado, por meio der artigos em jornais da cidade - no início da segunda administração do ex-prefeito Divino Lemes – chamei a atenção das autoridades do Estado e do município para a importância estratégica de Senador Canedo para a economia de Goiás. Ninguém, como geralmente é de hábito, deu a devida importância. Acham que a função do jornalista é apenas elogiar o trabalho de quem faz bem feito ou xingar e fazer denúncias contra os maus políticos. O jornalismo sério e profissional é abrangente. Trabalha o factual, sim; mas também perspectivas de futuro para a comunidade onde atua tendo como objeto central de seus enfoques os homens e mulheres que são jornaleiros da população.
Resultado: apareceu um homem diferente – Vanderlan Cardoso (2004) -, bem intencionado (mas a coisa não ficou apenas na base da intenção, não!), madrugador (que inclusive é um dos títulos do Íris), trabalhador, corajoso, realizador, competente, revolucionário em seus projetos para a cidade, inclusive em matéria de aplicação correta e responsável dos recursos públicos, e Senador Canedo é isso que Goiás e o Brasil vêem e aplaudem hoje. Para mim é um dos homens mais honestos que já vi no trato com a coisa pública, em que pese o seu recente ingresso na vida pública. Se amanhã se alguém me provar em contrário, eu mudo o meu discurso. Até porque a Bíblia diz que: “Maldito é o homem que confia no homem”. Assim como o presidente Lula, não tenho motivo nenhum para me queixar do caráter e da honradez do ex-prefeito Vanderlan. Mas, agora, o tema é outro: é sucessão municipal de 2012. Acho que o prefeito Túlio é o nome, a menos que ele e sua mulher Nélida não o queiram. Mas isso é outra questão. O Túlio é portador de excelentes qualidades como homem público, e, uma delas é ser HONESTO. É um bom princípio para ser um excelente servidor público, como vem mostrando até agora.
E se o prefeito Túlio não sair candidato à sua própria sucessão? Bem, nesse caso, temos que olhar para dentro de nossa própria casa – Senador Canedo, lógico! Não temos que ficar pensando em ninguém de fora que, além de não ter, não conhece a alma de nossa gente. Alguém que vem aqui só pra levar o nosso! Não importa se é filho natural ou adotivo, o que queremos que seja um homem ou uma mulher que tenha bebido por um bom tempo as águas do Bom Sucesso. No âmbito do governo municipal, temos: o secretário de Indústria e Comércio, Zélio Cândido Costa, o secretário do Meio Ambiente, vereador Roberto Lopes, o vereador Geraldo Detran e o secretário de finanças, Stênio Silva; fora desse arraiá é citado o nome do vereador Vilmar Lima (PSDB), que teria o apoio do governador Marconi Perillo. Em ligeiras pinceladas, vejo o quadro com bastante otimismo, porque o Zélio – caso o dr. Túlio não seja mesmo candidato - , por exemplo, como cabeça de chapa, numa dobradinha com o vereador Roberto Lopes, e a bênção do ex-prefeito Vanderlan, não seria apenas imbatível, mas ideal para a cidade, pois a indústria, o comércio, o emprego, a renda e a educação sairiam hiper fortalecidos dessa junção.
Claro, qualquer inversão dos nomes não daria errado. Roberto Lopes tem tudo para ser um excelente executivo municipal. Lógico, a experiência empresarial do Zélio, com o belo aprendizado feito ao lado do ex-prefeito Vanderlan, somados ao caráter pessoal de um bom homem de Deus – e Senador Canedo não pode perder isso de vista, nunca! -, pois quando o justo governa, o povo se alegra. Roberto Lopes seria um impulso grandioso para o setor educacional como professor que é, e teríamos a volta de vários “Educares”, tendo como base o modelo do I EDUCAR por ele realizado em Senador Canedo, quando esteve a frente da Secretaria Municipal de Educação. Com o Zélio na vice, a educação não ganharia tanto – não que ele não daria conta do recado, porque quem competência para bater em Chico faria o mesmo com Francisco, mas, é aquela história, se cada macaco puder ficar no seu galho, melhor, não é? Bem, Geraldo é um histórico filho da terra, mas a partir do momento em que ele deixou de brigar por um direito dele de ser prefeito, permitindo que Divino Lemes mandasse e desmandasse na cidade por tantos anos, fazendo, com o beneplácito dele, o que bem entendeu com o povo e a cidade, se submetendo aos caprichos do próprio Divino, perdeu autoridade perante a sua gente.
Não costumo fazer avaliação que não possa provar minhas teses. Vou fundo nisso. Topo qualquer parada com quem quiser me contestar. Geraldo é um excelente sujeito; excelente advogado, mesmo sem muita cultura jurídica – porque trabalha mais em cima da parte técnica do direito -, mas ao longo de sua vida pública não investiu amor ágape na sua gente. O Divino fez isso, ou seja, investiu amor filos, e puxou a brasa para a sua sardinha. Sabe aquela história de que, “quem planta, colhe”? Claro, depende da semente que se planta, lógico! Se é vento, vem tempestade. Vilma Lima só foi enxergar o Canedo, como prato do dia, depois que viu o jardim florir nas mãos do Vanderlan. Deixou a sua indústria de CARRETAS em Goiânia e veio construir a sua mansão, não sem pensar que a cidade precisava dele – a quem chegou a chamar de “essa merda”, mas na idéia de que ele precisava dela. Sua eleição para vereador é discutida até hoje como algo que não é fruto de sua popularidade. Trabalhou na construção de obras para o município, ao lado do amigo de fé Divino Lemes, mas o vereador Sérgio Bravo – meio chateado com o colega – disse no Plenário da Câmara que a enxurrada havia levado toda a sua obra. Sua votação para deputado, em 2010, foi pífia.
Então amigo, se o dr.Túlio – que é um excelente nome, além de bola da vez – disser que não quer ser candidato a nada em 2012, estão aí dois nomes excelentes para a cidade não perder tudo isso que ganhou até agora: Zélio Cândido Costa – ‘seu’ Zélio e o professor Roberto Lopes. Quanto ao dr.Túlio, que é católico, não cabe a mim fazer, aqui e agora, qualquer observação sobre o deu perfil religioso. Quanto ao empresário Zélio e o professor Roberto, são dois evangélicos com transformação de suas vidas - creio nisso como crente que sou! -, porque não basta ter o nome de evangélico – pouco importando o que o cidadão foi antes de ser crente -, é preciso ter a experiência da transformação de Deus por meio do Espírito Santo. Político evangélico, que não passou pelo crivo da graça e do poder Deus na sua vida, não agüenta ver dinheiro público fácil na sua frente, não; porque dinheiro público é igualzinho a mulher: se o cidadão não orar, não vigiar e não tiver o devido cuidado, ele cai e feio e vira chacota. E a maior vítima é sempre povo. É por isso que tem evangélico, por aí, dando vexame. Qual foi o procedimento prefeito evangélico Vanderlan Cardoso? Valeu ou não valeu? O Canedo que temos hoje nos orgulha ou não? A fé na vida e na prática do homem tem a ver ou não tem com o que ele faz na vida? Ou cristianismo é só conversa fiada?
--------------------
PORTUGAL ESTÁ ENTRE AS NAÇÕES QUE SERÃO JULGADAS PELO REI E SENHOR JESUS CRISTO
A notícia da manhã do dia 17 de julho (quinta-feira) – Bom Dia Brasil da Globo - de que Portugal estava à beira da falência financeira – um dos países da Península Ibérica ao lado da Espanha -, trouxe de volta à minha mente o que essas duas nações fizeram contra judeus e protestantes durante o período inquisitorial comandado pela Igreja Católica Romana, sucessora legítima do antigo Império Romano, o chamado quarto animal de dez chifres – depois do leão, do urso e do leopardo. A inquisição aniquilou vidas de judeus e protestantes, no território português, entre 1536 e 1821, ou seja, durante 281 anos a fio. No território espanhol a inquisição dizimou vidas de judeus e protestantes entre 1478 a 1821, ou seja, no transcorrer de 343 anos ininterruptos.
A Península Ibérica era próspera quando os judeus ali aportaram com bênção de Deus - muito dinheiro e trabalho. Mas a contra–reforma da Igreja era para eliminar quem não rezasse pela sua cartilha religiosa. Foi assim com os filhos de Albi, os albigenses, no sul da França – uma comunidade inteira sacrificada pela cruzada do papa Inocêncio III, realizada em 1209, sob a espada de Simão de Montfort e do espanhol e futuro “santo” Domingos, que ia na frente “com o símbolo do Cristianismo nas mãos e um ódio diabólico no coração”. Em Portugal a inquisição teve início em 1536, a pedido do católico “piedoso” João III, rei daquela nação entre 1521 e 1568. Só foi terminar, como já disse, em 1821.
Enquanto na Espanha o terror de todos os malefícios era o bispo Dom Tomás de Torquemada – cuidado, não era Balduíno! -, que foi sucedido pelo não menos cruel cardeal Ximenes. Em Portugal eram os próprios reis parece que queriam eliminar os judeus da face da terra. É que os judeus eram discriminados desde os tempos do Império Romano, e a Igreja Católica, sucessora legítima do quarto animal de Daniel 7:7 (o Império Romano), simplesmente deu seqüência a essa perseguição em cima dos irmãos legítimos de Jesus Cristo. Foi o próprio papa Inocêncio III que, com base em uma decisão do Concílio de Latrão, realizado em 1215, que exigiu que os judeus usassem sinais em seus trajes para diferenciá-los do restante do mundo cristão, como fez Hitler. Isso não era perseguição da Igreja Católica sobre os judeus?
AMALDIÇOADOS - Claro, Jesus não vai perdoar a Igreja Católica Romana, nunca! O que fizeram contra os judeus dói no coração de Deus até hoje. O eterno Juiz vai julgar a Igreja Católica por isso - papa por papa, desde Lino. Portugal e Espanha eram prósperos quando os judeus foram acolhidos na primeira metade do século XVI. Foram expulsos de lá e a miséria tomou conta desses dois países europeus. Se o que eu estou dizendo não for a verdade, então o Deus Criador dos céus e da terra não falou a verdade. Disse o Senhor a Abraão, depois que o chamou na terra dos Caldeus: “...Sê tu uma bênção: abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra”. Se isso aqui não for Palavra de Deus, então, o que é?
Em Deuteronômio 30 o Senhor fala das bênçãos e maldições colocadas diante do Israel desobediente e disperso entre as nações, mas há, também, uma promessa de mudança da sorte dos judeus perseguidos, ou seja, a circuncisão do coração dessa gente, seguida de uma PUNIÇÃO aos seus exatores, no verso 7, onde está escrito: “O Senhor teu Deus porá todas estas maldições sobre teus inimigos, e sobre os teus aborrecedores, que te perseguiram”. Ah, mas a Alemanha fez a mesma coisa ou até pior nos dias de Adolfo Hitler e é próspera, dizem! – É verdade. Mas foi ali que o Espírito Santo levantou um homem – Martinho Lutero - para resgatar a Sua Igreja das mãos dos casares papais. Ou não foi? Onde foi realizada a Reforma Protestante, com o fito de retirar de “Babilônia, a Grande”, o povo do Senhor? Não foi na Alemanha? Deus não é injusto para não reconhecer isso!
Claro, Deus vai julgar a Alemanha pelo que fez com os seis milhões de judeus sacrificados no tempo de Hitler, mas a carnificina alemã não é um rio de sangue judaico, como é o caso da Igreja Católica Romana. O perdão que a Igreja pediu aos judeus no século passado por meio de um papa – não me lembro se foi o próprio Bento XVI (?) – não livra a Igreja de sua de sua futura condenação pelo Deus eterno, pois não houve arrependimento, não houve regeneração, foi um pedido de perdão político. A Igreja não se exime de sua culpa perante o Deus dos céus com apenas um pedido formal de perdão aos judeus. E a situação com o Deus de Abraão, Isac e Jacó, está resolvida? Claro que não!
Eu bem sei que a Igreja Católica é um Estado secular muitíssimo bem estruturado – são séculos de história -, só que, o tempo que cura o queijo, não é o mesmo credenciaria a Igreja ser o que ela pensa que é, inclusive com a pretensa igualdade de sua Tradição com a Bíblia, ou mesmo a supremacia papal, juntamente com o dogma de sua infalibilidade – que são exclusivas de Deus -, quando este se manifesta ex-cáthedra em assuntos de fé, na condição de “Vicários Fili Dei”, ou ainda a decisão de seus Concílios; mas não deixo de saber e reconhecer que Satanás, a antiga serpente, também chamada diabo, além de ser o maior enganador, impostor e fundador de religiões falsas, é também mais antigo do que a Igreja Católica, e nem por isso deixa de ser o pai da mentira.

NAÇÕES CATÓLICAS - Nunca se esqueça o leitor de que, no Novo Testamento, o Espírito Santo – o fundador da verdadeira Igreja de Deus no dia Pentecostes na cidade de Jerusalém, e não em Roma – fundou igrejas locais por toda a parte do mundo, começando pela própria Jerusalém, que é a cidade do coração de Deus, porém comunidades livres e democráticas. Esse modelito de igrejas, simbolizado em Mateus 13 por um grão de mostarda, não foi alterado, porque foi o próprio Jesus que assim o fez por meio de Seu Espírito Santo. Enquanto isso, o modelo católico, mostrado no mesmo texto, surgido a partir de 313 d.C., em Roma, não em Jerusalém, foi alterado e é misto, ou seja, de um estado monolítico e real, como o que o Senhor vai implantar no seu Reino milenar.
Portanto, nações peninsulares como: Espanha, Itália, Grécia e Portugal, onde esse modelo de Igreja estatal – com poderes temporal e espiritual (dois chifres), foi fortemente implantado, se tornaram vassalas e concentradoras das forças religiosas do catolicismo, oferecendo ao papa suas armas de guerra, com as quais a Igreja - que é um poder (Estado) desarmado, sim, mas dentro dos outros (Estados) armados – se achou livre para, de posse da “Santa” Inquisição, perseguir e matar milhares de judeus e protestantes, submetendo-s às piores humilhações, enquanto confiscava seus bens, destruía suas famílias separando seus cônjuges e seqüestrava seus filhos, colocando-os em famílias substitutas que ninguém sabe até hoje aonde foram parar.
OS AUTOS-DE-FÉ (?) - A crise econômica verificada hoje entre as nações peninsulares católicas – Grécia, Itália, Portugal e Espanha – tem a marca da mão de Deus, pois em seus territórios o sangue inocente de judeus e protestantes foi derramado impiedosamente, e, em razão disso, nunca deixou de clamar aos céus por justiça. Essa situação pode levar os países da Europa a se unirem numa confederação de dez estados, como forma de resistirem à grande hecatombe econômica, mas também a base política e religiosa para o surgimento do Anticristo apocalíptico. Para o leitor ter uma idéia, o tribunal inquisitorial português de Lisboa realizou, em 23 de outubro de 1540, 248 autos, condenando 7.666 pessoas – judeus e protestantes.
No dia 24 de março de 1631, o tribunal inquisitorial de Lisboa, que funcionou até 7 de agosto de 1794, condenou 184 pessoas de uma só vez. No período de 20 de setembro de 1540 a 7 de agosto de 1821, ou seja, 281 anos de Inquisição, foram apuradas nos arquivos 60.885 condenações, sendo desse total 31.349 pessoas assassinadas pelo fogo. Graças a Deus, não conseguiram matar um de seus filhos mais ilustres: JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, que fez, até hoje, a melhor tradução das Escrituras Sagradas, que, padres e pastores ecumênicos tentam até hoje destruir sob o argumento diabólico de que é preciso atualizar o texto sagrado, inclusive adicionando a elas uma imbecilidade chamada de “NOVO TESTAMENTO NA LINGUAGEM DE HOJE”(NTLH).
Esse é o catolicismo que se justifica pelas suas “obras” diante de Deus (?). É por isso que o rev. Ernesto Luiz de Oliveira, um dos maiores presbiterianos que este já produziu em matéria de pessoa – engenheiro agrônomo, teólogo, professor da Universidade do Paraná, poliglota, assim como o ver.Waldir Carvalho Luz, meu ex-professor no Seminário Palavra da Vida (SP) – falava nove idiomas, além do vernáculo, o Inglês, o Espanhol, o Grego e o Hebraico, anotou em seu livro “ROMA, A IGREJA E O ANTICRISTO”, já no final da obra, que as nações católicas são mais pobres da terra ,e fez uma lista delas onde incluiu Portugal, Espanha e países da América Latina, entre eles, o Brasil. O rev.Ernesto Luiz de Oliveira não falou nenhuma inverdade. PORTUGAL ESTÁ NO SAL!
--------------------
Meu convite - Quero convidá-lo para estar comigo, juntamente com sua família e seus amigos que quiserem e puderem, na IGREJA CRISTÃ EVANGÉLICA CENTRAL DE GOIÂNIA – na Av.Paranaíba/Rua 7 – no CENTRO – onde estarei pregando sobre: “A GRANDE TAREFA DA IGREJA – EVANGELIZAR”! Estarei cantando com a Igreja alguns dos hinos de minha autoria. Gostaria, e muito, de contar com a sua presença.
Este é um tempo de pregação da Palavra de Deus – evangelizar ímpios religiosos – pois a Igreja de Deus tem sido omissa diante dessa grande e nobre missão nos últimos dias. A teologia tem suplantado a evangelização e, com isso, surgiram, ao invés de discípulos do Senhor Jesus ou crentes em Jesus Cristo, os ‘evangélicos’, que são, na verdade, o moderno jeito SAMARITANO de estar nas igrejas.


por:Benedito Almeida Correa (bené)- MTb -1227JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário