quinta-feira, 25 de março de 2010

Política, eleições e sonhos, por... Ariana de Oliveira


Procura-se um candidato que tenha identidade própria e que possa se distinguir em meio aos milhares de outros aspirantes à carreira política. Prometo não apenas votar nele, mas dizer a todos os meus amigos o nome do meu candidato, com o orgulho de estar fazendo a escolha correta.
Quero um candidato que tenha propostas claras e definidas, que escolha seu partido político baseado nos ideais e nos projetos defendidos pelo grupo. Quero um candidato que não vá mudar de partido logo após as eleições, que seja fiel às suas propostas de campanha é que priorize o bem comum em detrimento do próprio bolso. O leitor pode achar que estou delirando. Não é delírio, é sonho. Um grande e conhecido poeta já dizia: “Se nossa geração não quer sonhar, pois que sonhem as que hão de vir”. Eu sonho com milhares de eleitores compartilhando comigo o desejo de termos políticos honestos e transparentes nas suas proposições.
Sonho que esse desejo se transforme em uma exigência. E que essa exigência se transforme em um movimento forte de controle social dentro do quadro político do nosso Estado e que a cada eleição, moradores das comunidades se reúnam para analisar quem foi sincero à sua plataforma política e quem traiu compromissos assumidos com o eleitor. Não, meus amigos. Não é cedo para nos preocupar com as eleições. Pois é agora, quando ainda faltam 04 meses para começar as campanhas. Karl Marx tem uma frase célebre, mas pouco difundida, até pelo preconceito dos comunistas, marcado por uma certa vergonha ou incompreensão em assumi-la. “É preciso três coisas para se fazer à revolução: dinheiro, dinheiro e dinheiro!” Logo, por me considerar marxista, não nego que a política do dia-a-dia também precisa de muito dinheiro. Calma. Justifico-me. Política, na sociedade atual, é uma atividade de massa. Compreende muita gente e em extensões geográficas significativas
Mas para isto não basta ser apenas honesto. É necessário ressaltar-se que só honestidade não é suficiente para que o candidato cumpra a missão para a qual foi eleito. E os eleitores parecem estar atentos a isso. O que se procura são candidatos que conjuguem as qualidades de honestidade com trabalho e competência. Para isso, é preciso saber ainda se o candidato está atento com os grandes desafios que o Brasil tem pela frente.

Um comentário:

  1. Sim Querida Ariana concordo com voc~e em gênero e grau ,tudo que está expondo é sim muito verdadeiro e profundo ,voce vai longe minha amiga

    ResponderExcluir