domingo, 13 de dezembro de 2009

Confira: da ultima edição do jornal O Cidadão " Nas entranhas do poder"

Ego petista
O professor Vicente é novo presidente do Partido dos Trabalhadores de Senador Canedo, Vicente venceu Lúcia candidata a reeleição de forma apertada com apenas cinco votos de diferença. Pelo resultado da eleição mais uma vez o PT de Senador Canedo deve caminhar rachado nas eleições.

Ego petista II

Ao contrario das esferas estadual e federal, o PT de Senador Canedo não cresceu e sempre teve participações pífias nas eleições. A desorganização e as brigas internas dos petistas da cidade é tão grande que eles nunca conseguiram eleger um vereador. Vale lembrar que o PT de Caldazinha já elegeu vice-prefeito e vereador, agora o PT de Senador Canedo é só briga.

Nova casa
Depois de levarem cartão vermelho no PSDB, a oposição de Senador Canedo abrigou-se no PP partido do governador Alcides Rodrigues. Divino Lemes nomeou seu fiel escudeiro Luciano Menezes para presidir o PP em Senador Canedo.

Samba peemedebista
O samba do crioulo doido perde feio para o PMDB de Senador Canedo, a legenda ao longo dos anos vem passando por tempestades intermináveis. Uma desorganização total, brigas e consequentemente desastre nas urnas. Em 2004 e 2008 o PMDB não alcançou 300 votos nos dois pleitos.

Picanha perigosa
Não convide para um rodízio em uma churrascaria os vereadores Roni (PDT) e Diney (PTB) de Senador Canedo é perigoso sair muito mais que o sangue da picanha na mesa. Os vereadores e seus assessores declaram guerra e a briga promete, os dois estão disputando até a autoria de quebra molas.

Do rádio para Assembleia
Carlos Antonio ex-apresentador do Via Livre e vereador em Anápolis é candidato a deputado estadual nas próximas eleições. O radialista afirma que no seu partido o PSC, ele poder ser eleito com apenas 15 mil votos.

Paulo em Caldazinha
A classe política de Caldazinha está em polvorosa com uma provável candidatura do vereador Paulo Roberto (PPS) de Senador Canedo a prefeito de Caldazinha. Paulo já comprou uma propriedade rural na cidade onde passa a maior parte do tempo.


Só muda a cama

Militantes do PDT dizem que o partido vai sair das mãos de um “casal despótico”, Euler Ivo e Isaura Lemos, para cair nas mãos de outro casal despótico, George Morais. “Só vai mudar a cama que vai mandar no PDT”, afirma um militante.

Vereador federal
De um peemedebista que acompanha os passos do senador Marconi Perillo com lupa: “O tucano começa a trabalhar em Goiânia, bairro a bairro. Participa de batizado de criança e de qualquer cerimônia para a qual for convidado. Nós, do PMDB, já começamos a chamá-lo de vereador federal”.

Vereador federal 2
O peemedebista diz que Marconi está se movendo. “Ele é perigoso, porque não fica parado e não é previsível.” O líder diz que cabe ao PMDB não subestimá-lo mais uma vez. “Marconi foi subestimado três vezes e, em todas, nós perdemos. O senador alimenta-se de política e seu lazer é política.”

Alcides não é Marconi
Parte do PP pode acompanhar o senador Marconi Perillo, mas o governador Alcides Rodrigues, se não lançar candidato da terceira via, não apoia o tucano de forma alguma. Pode até ficar neutro, mas não compõe com o candidato do PSDB ao governo. A divergência, além de política, é pessoal. Muito pessoal. Nos bastidores, Marconi e Alcides se atacam ferozmente, e cada um sabe o que o outro diz sobre o outro.

Alcides não é Marconi2

A crise entre o senador Marconi Perillo e o governador Alcides Rodrigues, camuflada por dois mandatos do tucano, pode ter surgido já em 1998. Segundo um alcidista, em 1998, o PP apresentou como candidato a governador Roberto Balestra. Mas, ao contrário do que se tem escrito, Balestra não abriu espaço para Marconi Perillo por abnegação ou porque estava mal nas

Nenhum comentário:

Postar um comentário