terça-feira, 30 de junho de 2009

Jornalismo goiano perde Jorge Taleb

Foi enterrado na tarde de ontem, às 17h30, no Cemitério Santana, o corpo do jornalista e articulista do Diário da Manhã Jorge Taleb, 65. O velório ocorreu na Igreja Católica Apostólica Ortodoxa de Antioquia, no Setor Oeste. Havia dois anos que Jorge lutava contra um câncer no intestino e morreu na manhã de ontem no Hospital São Salvador, em Goiânia, onde estava internado. Amigos e parentes lamentaram a perda do jornalista, que desde os 14 anos dedicou sua vida à imprensa. Do segundo casamento, união de 24 anos com Elionora Koff, Taleb deixa uma filha, Carolina Koff Taleb, 22.

Taleb era considerado pelos amigos como um homem diplomático e de espírito apaziguador. “Ele vivia cercado de amigos e gostava de cultivar as amizades”, recorda o empresário Giusepe Vecci.
O jornalista começou a vida profissional no suplemento juvenil do Diário do Povo. “Meu pai ficava com medo do trabalho que Jorge desenvolvia, pois ele adorava seguir a polícia”, diz a irmã de Jorge, Sarah Taleb Rassi, a Sarita, como é conhecida. O trabalho para gerenciar uma marmoraria em Goiânia fez com que o articulista se mudasse para Goiânia em 1963. Na jovem capital do Centro-Oeste, Jorge continuou a trabalhar com o Jornalismo.

Para o ex-prefeito Nion Albernaz, o momento é de lamentar acima de tudo a perda de um grande amigo que pôs “a lealdade e a honestidade a toda prova”. Na gestão de Nion Albernaz, Jorge Taleb assumiu a Pasta de Comunicação e foi um dos precursores do grupo Tempo Novo, que levou o partido PSDB ao governo do Estado de Goiás em 1999. “Não foi só eu que perdi. Goiás também perdeu com a morte de um jornalista que sabia se comunicar muito bem com seu povo”, destaca Nion.

O governador Alcides Rodrigues fez questão de ressaltar a admiração e o respeito que tinha por Jorge: “É um homem admirável, cheio de bons exemplos para todos nós.” Alcides destacou que o jornalista também tinha o dom de constituir alianças na política: “Ele era uma pessoa extraordinária, que soube ajudar nas mudanças políticas que se iniciaram no final da década de 1990.”

Durante a missa de corpo presente, o padre Rafael J. Magul fez questão de ressaltar que Jorge Taleb jamais será esquecido. O pároco também disse que em vida Jorge exemplificou muitas palavras de Jesus Cristo, pois lutou pela verdade porque era um homem cristão: “Era um homem livre e sempre falou a verdade e não mediu esforços para mantê-la viva.”

O secretário de Saúde do município, Paulo Rassi, destacou a amizade verdadeira que teve durante 30 anos com Taleb. O presidente metropolitano do PSDB, Antônio Faleiros, destacou o profissionalismo de Taleb: “Morre o mais culto de todos os jornalistas de Goiás.”

Visivelmente emocionado, o senador Marconi Perillo discursou durante a missa e lembrou do amigo. O parlamentar disse que não só o Estado de Goiás lamenta a perda de Jorge: “Minha perda não é só política, mas, acima de tudo, é pessoal. Tivemos nosso momento de despedida no domingo pela manhã, quando visitei Jorge no hospital. Percebi que a hora dele estava chegando. Sabia que era nosso último aperto de mão.”

Marconi ressaltou que a família do articulista não fica desamparada. “Vocês não ficarão desamparadas, não se sentirão sozinhos. A memória de Jorge não será esquecida”, falou com voz embargada. As mesmas palavras foram repetidas no momento do sepultamento. Uma salva de palmas foi o último adeus ao jornalista Jorge Taleb.
Fonte: DM Online/Marcia Fabiana

Nenhum comentário:

Postar um comentário