sexta-feira, 13 de março de 2009

Menina morta em queda de avião é enterrada


A menina Penélope Barbosa Correia, de 5 anos, que morreu na queda do avião no estacionamento do Shopping Shopping Flamboyant, em Goiânia, foi enterrada nesta sexta-feira (13). O enterro ocorreu às14h50, no Cemitério Vale da Paz, em Goiânia, e reuniu parentes e amigos da família.

O velório também foi realizado no cemitério. A mãe da criança, Erica Correia, recebeu alta do Hospital de Urgências de Goiás (HUGO) para participar do velório da filha. Ela foi agredida e jogada de um carro em movimento na rodovia BR-060 pelo companheiro, Kleber Barbosa da Silva.

Entenda o caso

Um crime passional. Esse foi o motivo que levou o desempregado Kléber Barbosa da Silva, de 32 anos, a tentar matar a esposa, Erika Barbosa dos Santos, de 22, na BR-060, nas proximidades de Terezópolis e a fugir com a filha Penélope Barbosa Correia, de 5 anos, até Luziânia, onde ele sequestrou um avião Tupi, prefixo PT-VFI e de voltar para Goiânia, onde sobrevoou a cidade por 40 minutos monitorado por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e um helicóptero do Grupo de Radiopatrulha Aérea da Polícia Militar (Graer). Como havia ameaçado, Kléber jogou a aeronave no estacionamento do Shopping Flamboyant, no Jardim Goiás, matando a filha e a si próprio e destruindo cerca de vinte carros estacionados no local.

A tragédia começou a ser desenhada na hora do almoço, quando Kléber chegou no apartamento, em um prédio em Aparecida de Goiânia e agrediu a esposa na frente da única filha do casal. Ele teria arrastado a esposa e a filha até o carro, um Vectra branco e dirigido até o quilômetro 118, da BR-060, nas proximidades de Terezópolis.

Ele parou o carro e espancou a esposa usando o extintor de incêndio do veículo, causando lesão grave no crânio, com perda de massa encefálica. Ele abandonou a esposa às margens da rodovia, acreditando que ela estava morta.

Por volta das 13h30 desta quinta-feira, uma ambulância de uma cidade do interior encontrou a mulher agonizando e a socorreu, levando-a para o Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo), onde ela está internada em estado grave na emergência do hospital.

Com a filha dentro do carro, Kléber foi até o Aeroclube de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, onde alugou o avião para um voo panorâmico com a filha e antes do avião decolar, ele rendeu o comandante, determinando que ele descesse. Kléber estava armado. A Polícia Militar não soube informar qual o tipo de armamento usado por Kléber da Silva.

Apaixonado por aeronaves, Kléber sequestrou o avião e pilotou até Goiânia, onde deu rasantes no Hugo, onde a sogra e a cunhada trabalham, e em um prédio no Setor Pedro Ludovico, onde uma prima da esposa mora. Ele ameaçava jogar a aeronave sobre um prédio e causar grande tragédia em Goiânia.
Ao render o comandante da aeronave, Kléber teria dito que já havia matado uma pessoa e que nada o impedia de matar mais uma pessoa.

Depois de ser interceptado por 40 minutos por um avião da FAB e por um helicóptero do Graer, Kléber jogou o avião sobre o estacionamento da entrada principal do Shopping Flamboyant, causando a morte imediata da filha e dele e danos em 23 carros. Nenhum cliente ou funcionário do shopping foi atingido.
Uma ocorrência sobre a subtração da criança chegou a ser registrada na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) no final da tarde desta quinta-feira, quando a família de Erika ficou sabendo das agressões sofridas por ela.

Por se tratar de tentativa de homicídio (no caso da mãe), de homicídio (em relação a criança) e de suicídio, o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios, que já havia começado o trabalho investigativo. Por se tratar de sequestro de aeronave, o caso também é investigado pela Polícia Federal.

A família de Erika, ao saber da tragédia, decidiu não comentar o assunto até a recuperação da dona de casa, que ainda não sabe da morte da filha e do marido. “Não sabemos como contar para ela”, comentou uma concunhada de Erika. A dona de casa está consciente, apesar do estado de saúde ser grave. Ela pergunta o tempo todo sobre o paradeiro da filha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário