sexta-feira, 20 de março de 2009

Alcoolduto que será construído em Senador Canedo deve ir de Senador Canedo a Mato Grosso também.

Para Wagner Ramos, audiência pública realizada em Denise e a sensibilidade do governo devem agilizar instalação de usina de álcool e açúcar no município.



O líder do Partido Republicano na Assembléia Legislativa, deputado Wagner Ramos, disse hoje (19) que uma audiência pública realizada em Denise (208 km da capital, a sudoeste) reforçou a certeza de que Mato Grosso tem tudo para se tornar o próximo estado brasileiro a possuir o seu alcoolduto (corredor destinado à exportação de álcool) e um poliduto (para importação de diesel e gasolina).

De acordo com o parlamentar, o encontro – que reuniu autoridades estaduais e municipais, e centenas de pessoas na tarde desta quarta-feira (18) – serviu para sensibilizar o governo na liberação de uma Licença Provisória (LP), documento necessário para a instalação de uma usina de álcool e açúcar naquele município, pela CEVN (a Companhia Energética Verde Nova).

O projeto do grupo prevê cultivo e colheita de três milhões de toneladas de cana por safra – 40% desse total destinados à produção de açúcar e 60% de álcool, além da geração de cerca de 1.200 empregos diretos e cinco mil empregos indiretos. Com investimento inicial previsto da ordem de R$ 360 milhões, a CEVN tem como âncora do seu projeto a utilização do poliduto.

Segundo Wagner Ramos, a audiência em Denise foi altamente proveitosa porque conseguiu a aprovação de todos que participaram dela para a instalação da usina. “O anseio e a expectativa da sociedade local é grande por causa da geração de empregos e de renda para a região, e o governo está sensível a essa causa”, observou o parlamentar.

O secretário de Estado de Assuntos Estratégicos, José Aparecido dos Santos, reforçou essa posição. Ele disse que o governador Blairo Maggi considera importante a região e a instalação da usina da CEVN no município pelos mesmos motivos. A previsão é que as obras da usina sejam concluídas até 2010 quando deve ser iniciada a produção.

“Os relatórios do Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente) e da Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) estão provocando o retardamento desse processo. Eles estão com os planejamentos técnico e ambiental já resolvidos e, principalmente, de atuação da empresa. Mas, certamente, agora tudo será solucionado”, previu o republicano.

Ele destacou que o médio-norte é o maior produtor de álcool do estado de Mato Grosso, responsável por 89% da produção total e citou as usinas de Barra do Bugres, Lambari D’Oeste, Campo Novo do Parecis, Nova Olímpia e São José do Rio Claro.

Além disso, ainda existem três plantas – a da CEVN e duas da Cia Terra, em Tangará da Serra – a primeira usina de produção de etanol a contar com a parceria da Petrobrás, num plano considerado ousado de exportação do combustível e geração de energia a partir da cana-de-açúcar. Para a vinda do alcoolduto e do poliduto para Mato Grosso, considerando a produção consolidada das onze usinas em operação nos seus municípios e os empreendimentos propostos para os próximos três anos, a partir de 2008 – o prazo definido inicialmente pela Transpetro, o estado vai passar dos atuais 800 milhões de litros de álcool/ano para um volume de produção na casa dos 3,7 bilhões de litros/ano.

A esse patamar somam-se novos investimentos como é o caso da Ciaterra, com dois projetos de 2,5 milhões de toneladas de cana, cada; e o Grupo Brenco (Companhia Brasileira de Energia Renovável), em Alto Taquari, com 35 mil hectares e três milhões de toneladas de cana.

“Com esses elementos, podemos considerar já atingida – com folga – a meta preestabelecida pela Transpetro para viabilizar economicamente o projeto e para que Mato Grosso se torne apto a ter seu alcoolduto – seja por Senador Canedo (MS) ou por Paranaguá (PR) – e seu poliduto”, comemorou o deputado Wagner Ramos (PR) por ocasião de uma reunião com o presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Na audiência em Denise, além de Wagner Ramos e José Aparecidos dos Santos, estiveram presentes o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral (Seplan/MT), Arnaldo Alves Souza, vários prefeitos – entre eles o de Denise, Nortelândia, Barra do Bugres e Arenápolis, vereadores, representantes de segmentos organizados e moradores da região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário