sábado, 7 de fevereiro de 2009

Suspeitos de queimar brasileira viva nos EUA têm fichas criminais

O homem e a mulher suspeitos de terem incendiado o corpo da stripper brasileira Roberta Busby, 27, têm antecedentes criminais, informou a polícia ao site do jornal "LA Daily News" neste sábado. Os dois estão foragidos, e a brasileira continua internada em estado grave, com queimaduras em cerca de 40% do corpo, no Hospital Sherman Oaks.

De acordo com a polícia, por volta da 1h30 local (7h30 em Brasília) de quinta-feira (5), a brasileira contava as gorjetas daquela noite na boate em que trabalha, Babes N' Beer, na cidade de Tarzana, no Estado da Califórnia, quando os suspeitos a atraíram para a rua.
Na calçada, eles a atacaram, jogaram combustível nela e atearam fogo. Busby conseguiu entrar de novo no estabelecimento, e colegas apagaram o fogo com a ajuda de cortinas.

Os amigos da brasileira disseram à polícia que ela tinha voltado a dançar recentemente, após perder o emprego como coletora de impostos. No dia anterior ao ataque, Busby, que é a mãe solteira de duas crianças, tinha conseguido um emprego em uma companhia aérea --o que, provavelmente, a afastaria novamente da boate.
Conforme a polícia de Tarzana, Nathaniel Petrillo, 22, conhecido como Duce, havia trabalhado na mesma boate que a brasileira como DJ e cumpria pena de um ano de prisão por posse de metanfetamina desde 15 de setembro do ano passado.

Não há informações sobre porque ele estava solto, ainda segundo o "LA Daily News", já que o rapaz não possuía credenciais para o tratamento de desintoxicação e devia uma fiança de US$ 35 mil.

Segundo as investigações, a segunda suspeita, Rianne Theriault-Odom, 27, também está ligada à boate --ela havia feito uma entrevista de emprego lá e sido reprovada--; e possui antecedentes criminais. Theriault-Odom está foragida desde junho de 2008. Ela havia sido condenada a 80 horas de serviço comunitário e a pagar US$ 300 de multa por um roubo realizado em novembro de 2005 mas, como não cumpriu nenhum dos dois, é procurada.

Folha Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário