quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

MAIS DO QUE NUNCA O PMDB É BOLA DA VEZ




Com a importante e notável vitória do PMDB para as presidências tanto do Senado, quanto da Câmara Federal, o partido comandará soberano o Congresso Nacional. Com isso foi rompido uma bi-polarização que envolvia PT e PSDB no Congresso, fazendo assim surgir novamente a força inquestionável do PMDB no cenário nacional, o maior partido político do Brasil.

Para 2010 pelo que tudo indica o PMDB deverá ser o fiel da balança, para onde o partido pender seja para o lado do tucano, José Serra ou para o da petista, Dilma Rousseff, poderá ser decisivo. Ambos, tanto PSDB, quanto PT ‘namoram’ e cobiçam o apoio do PMDB na sucessão no Planalto em 2010. Tudo leva a crer que para onde os peemedebistas migrarem poderá decidir as eleições.

Falam até que Serra quer que o PMDB indique um nome para ser seu vice, e este também é o pensamento da petista Dilma Rousseff ter um nome do PMDB na sua vice. Então, portanto, o PMDB passa a ser o partido mais cobiçado.

Só que eu particularmente desconfio que, poderá surgir mais uma força eminente para disputar voto a voto a sucessão de Lula, e está força é justamente o PMDB.

O PMDB velho de guerra tem plenas condições e ambicionar e galgar o posto que é hoje ocupado pelo petista Luiz Inácio Lula da Silva. Se o partido comanda o Congresso Nacional e tem as maiores bancadas tanto no Senado, quanto na Câmara, conta ainda com sete governadores de importantes Estados da federação, comanda em todo o Brasil 1194 prefeituras municipais e ainda nas últimas eleições municipais o partido conseguiu eleger 8469 vereadores em todo o Brasil.

Com tudo isso, não se pode menosprezar a força política que tem o PMDB, tanto que Lula sabe disso é hoje em seu governo o PMDB é o partido mais influente.

Isso faz com que possivelmente os lideres peemedebistas cresçam o interesse pelo Palácio do Planalto e abram o olho para a sucessão de Lula. Se ficar configurada a questão da fidelidade partidária, o PMDB irá consolidar sua liderança e influência política no Brasil. Supõe se que até setembro deste ano poderá criar se uma nova configuração de poder neste país, com o PMDB fortalecendo se cada vez mais. Quem sabe o PMDB não vai buscar um nome de consenso e com força política para disputar a sucessão de Lula em 2010, deixando tanto o favorito Serra dos tucanos, quanto a emergente ministra Dilma e seu PT, a ver navios.

Já pensou o PMDB buscando um nome consagrado politicamente em todo o país para disputar pelo o partido a presidência da República? O partido tem muitos nomes com chances reais de concorrer ao Planalto em 2010. Lideres independentes e experientes capazes de montar este jogo e que não falta no partido.

Michel Teme (PMDB-SP), novo presidente da Câmara Federal é um deles; também o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; ambos seriam nomes fortes para concorrer à sucessão de Lula.

Mas o PMDB não esconde, sonha em ter o governador tucano Aécio Neves (PSDB de Minas Gerais) filiado ao partido para disputar o Planalto em 2010. Se o neto do ex-presidente Tancredo Neves deixar o PSDB e filiar se no PMDB, partido este que seu avô ajudou a fundar, ele dará um enorme passo para disputar a presidência da República em 2010 com chances verdadeiras de vitória.
Agora que elogiei, então tenho o direito de criticar. Mesmo achando que o PMDB é a bola da vez na política nacional, está como dizia um velho ditado: Com a faca e o queijo na mão, baseando se na sucessão nacional do ano que vem, penso que, o PMDB continua sendo o maior e mais INCOERENTE partido político do Brasil.
Bela Vista de Goiás (Quarta - Feira, 04 de fevereiro de 2009)Escrito por Paulinho Damascena

Nenhum comentário:

Postar um comentário