segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Grupo destrói carros e bloqueia ruas em Paraisópolis



Manifestantes queimaram carros e fecharam ruas em Paraisópolis. Não há informações sobre presos ou feridos até o momento.
Moradores entraram em confronto com policiais militares na tarde desta segunda-feira (2). O grupo interrompeu o trânsito em uma das principais avenidas da região e protagonizou muitas cenas de vandalismo. Manifestantes queimaram pneus e pedaços de madeira, interditando algumas vias de acesso da favela.
De acordo com testemunhas, o protesto teria começado por causa da morte de um morador da região durante uma ação policial por volta das 12h30 de segunda-feira (1°). A polícia informou que o morador que foi morto era foragido e resistiu à prisão. O protesto nesta terça-feira começou por volta das 17h. Já no começo da noite, carros foram depredados e incendiados. Pelo menos sete pontos de bloqueio foram verificados dentro da favela.
A polícia foi chamada para desobstruir as ruas e foi recebida com paus e pedras, atirados pelos moradores do local. Na Rua Doutor Flávio Américo Maurano, altura do número 1.000, uma Kombi foi tombada e incendiada.

Por enquanto, não informações sobre pessoas feridas ou presas. Até por volta das 19h30, o Corpo de Bombeiros informou não ter sido chamado para atender ocorrências no local. A Tropa de

Choque estava desde as 19h40 na região.
Moradores
A segunda maior favela da cidade de São Paulo está encravada na área mais cara da cidade, o bairro do Morumbi. Possui mais de 80 mil moradores que em sua maioria vivem com uma renda mensal muito baixa. O local é tido com um dos mais perigosos da cidade em índices de criminalidade e violência.


Tráfego complicado
A recomendação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) é que os motoristas evitem circular pelas ruas próximas a Paraisópolis. A CET não soube informar o número de ruas fechadas pela manifestação por volta das 19h20.

Nenhum comentário:

Postar um comentário